Um freelancer é um “profissional (fotógrafo, jornalista, publicitário, arquiteto, etc.) que executa a sua atividade de forma independente, prestando serviços a vários empregadores com os quais não tem um vínculo de trabalho permanente” (in Dicionário Priberam da Língua Portuguesa)

São vários os motivos que levam alguém a optar pelo regime freelancer, e são comuns os casos em que se procura seguir uma paixão que esteve adormecida ou na qual não acreditávamos. O trabalho de freelancer, tal como todos os outros tipos de trabalho, têm as suas vantagens e desvantagens. 

Antes de se decidir por um regime freelancer é recomendável fazer um exercício de ponderação, uma vez que, é necessário muito esforço e dedicação, sobretudo nos primeiros tempos, e implica que estejamos em constante aprendizagem e melhoria. Um bom conselho é ir experimentando o trabalho de freelancer de forma paralela a outra atividade profissional, principalmente se tem zero experiência. 

A flexibilidade de rendimento consegue ser bastante atraente. Um freelancer pode receber por projeto ou por dias/horas de trabalho, prestando serviços a um ou vários empregadores, através de um local fixo ou por via remota. Todas estas variantes fazem com que seja necessária muita organização para se conseguir ser o mais produtivo possível. Como não há um salário mensal fixo, férias remuneradas, subsídios de férias ou alimentação, pode tornar-se complicado gerir os recursos de forma a contornar potenciais surpresas ou despesas inesperadas. 

No fundo, como somos responsáveis por vários aspetos de um negócio, é necessário ter conhecimentos em diversas áreas, desde questões jurídico-legais, financeiras, oportunidades de investimento, gestão de clientes, secretariado, marketing e comunicação e, ainda, o trabalho propriamente dito. Tudo isto irá influenciar a forma como és reconhecido na área. Está nas nossas mãos controlar a imagem que passamos enquanto profissionais e, tendo em conta e importância do mundo online, poderemos vir a ter de desempenhar funções de webdesigner, designer ou copywriter. O que requer polivalência na realização das mais variadas competências e, consequentemente, mais tempo de trabalho. 

Por outro lado, é importante saber escolher os projetos nos quais trabalhar. O freelancer deve tentar avaliar os bons dos maus clientes e saber criar relações de confiança para o futuro ou, caso não haja interesse, saber recusar um projeto não vantajoso. Todo este processo de negociação requer proatividade, discernimento e capacidade de fidelizar os melhores clientes. 

Aliada à responsabilidade vem a maior liberdade e autonomia na organização do seu trabalho e do seu tempo. A liberdade de horários permite planear o dia a dia de forma mais flexível e adaptada às necessidades, dando a possibilidade de evitar horas de pico no trânsito, ou multidões nos serviços públicos. Permite também dedicar tempo para criar um bom portfólio que inclua os melhores projetos e os clientes mais importantes; atualizar as redes sociais e construir uma identidade visual; ou recrutar possíveis colaboradores. Daí a necessidade de adotar um bom método de trabalho que permita aumentar a produtividade e cumprir sempre os prazos estipulados. 

Ou seja, muita atitude positiva, estar 25h/dia contactável e … um cheirinho de sorte. Não se esqueça que a vida não é só trabalho e que é preciso manter-se saudável, promovendo o equilíbrio entre a vida pessoal e profissional.